Pense e Viva

Vintage, Orgânicos e Bons Modos

Uma onda de saudosismo tem invadido o planeta. O mundo tem sentido saudades dos estilos, modelos e sabores de antigamente. As indústrias, cada dia mais, investem em receitas e embalagens que nos fazem recordar esse tempo. Seus departamentos de marketing apostam na nostalgia para crescer no mercado, eles já perceberam que há uma forte migração dos consumidores na direção de conceitos do passado.

Vivemos o início de uma nova era, a era do Vintage e dos orgânicos. Parece que as pessoas estão acordando para uma dura realidade: A gente era feliz e não sabia!

A terceira revolução industrial, iniciada nos anos 40, logo após a segunda guerra mundial, trouxe um crescimento impressionante ao mundo atual. A expansão das indústrias e da tecnologia acelerou muitos processos, “facilitou” a maneira de viver das pessoas que hoje vivem num nível de velocidade e urgência impensáveis para os padrões da época em que a revolução começou. Temos pressa para tudo, estamos sempre atrasados, estressados no transito, e sem tempo para pensar no quanto tudo isso nos faz mal.

Nosso mundo mudou. Somos a geração fast food. Nos alimentamos com comidas de preparo rápido, que nos adoecem cada vez mais cedo. Somos a geração da internet. Vivemos a era da tecnologia, que jogou por terra as barreiras da distância, do idioma e da informação, abrindo caminho para muitos avanços, mas que também facilitou a iniciação de muita gente, principalmente crianças, num mundo de perversão e vícios. Somos a geração do vídeogame, que traz entretenimento, mas que muitas vezes serve de “muleta” para pais que não tem tempo de educar os seus filhos. Somos a geração dos “gênios precoces” que antes de ingressar na escola já sabem tudo sobre o funcionamento de um smatphone, mas que ficam espantados quando visitam uma fazenda e descobrem que o leite sai da vaca e o que o ovo sai da galinha. Somos a geração dos jovens de personalidade forte, que crescem ouvindo que nasceram para vencer e que precisam ser os mais fortes e inteligentes para ter êxito num mundo tão competitivo, mas que não foram educados para respeitar os mais velhos nem para valorizar aqueles que lhes ensinam princípios. Somos da geração que sabe cantar fluentemente em inglês, mas que não sabe cantar o hino do seu país. Somos a geração dos super-heróis sem poderes. Elevamos ao patamar de celebridade pessoas que não fazem nada mais do que deveria ser feito e estampamos atos de honestidade e respeito em capas de jornal.

Por tudo isso, temos saudades dos velhos tempos!

Pouco a pouco nos damos conta que muita coisa que deixamos de valorizar ontem, é o que realmente têm valor hoje. Pagamos caro para ter um objeto feito com materiais que não são descartáveis, nos mesmos padrões do passado. Descobrimos, depois de adoecer, que os mesmos alimentos orgânicos, tão abundantes antigamente, e que desprezamos trocando por produtos industrializados, são os únicos que realmente fazem bem a nossa saúde, e que pagamos mais caro por eles hoje porque já não são mais tão facilmente encontrados.

Temos saudades do tempero da comida da vovó, que não conhecia glutamato monossódico nem gordura hidrogenada, mas que fazia delícias que não encontramos mais hoje em dia. Sentimos falta daquelas refeições demoradas onde todos se assentavam para comer e conversar, sem pressa de levantar para atender algum compromisso, ou ser interrompido pelo barulho de mais uma mensagem no celular.

Na questão alimentar, não basta mudar a embalagem, é preciso mudar o que vai dentro dela. Em relação aos bons modos, não basta mudar a linguagem ou a maneira de vestir, é preciso mudar a fonte de inspiração.

Podemos mudar nossa dieta e voltar a ter saúde. Sabemos do que temos que nos afastar e o que temos que voltar a consumir para que isso aconteça. Da mesma forma, podemos mudar a sociedade e seus padrões éticos e morais. Assim como na alimentação, sabemos do que temos que nos afastar e a forma como devemos voltar a agir.

Precisamos voltar para Deus. O mundo se afastou Dele, trocou a comunhão com Ele pela tecnologia; deixou de aplicar os seus princípios para viver outros conceitos, envenenados, não por agrotóxicos, mas por egoísmo, ganância e orgulho.

O mundo deixou Deus de fora de suas casas. Orar antes das refeições se tornou um hábito ultrapassado, conversar com Deus antes de dormir se tornou bem menos atrativo do que longas conversas nas redes sociais, ensinar histórias bíblicas aos filhos não despertará neles o mesmo interesse que a saga de algum super-herói japonês que eles já conheçam dos canais de televisão.

Quando aconteceram os atentados de 11 de setembro nos Estados Unidos, um renomado canal de televisão chamou a filha de um conhecido pregador do evangelho para participar de seu programa de entrevistas. Na ocasião, perguntaram a ela “onde estava Deus e o que Ele estava fazendo no momento em que as torres gêmeas foram destruídas”. Sua resposta foi: De qual Deus você está falando? Daquele que os americanos expulsaram das escolas e dos livros de história? Daquele que os americanos esqueceram nas suas casas?

Precisamos pensar profundamente sobre isso: “Tenho, porém, contra ti que deixaste o teu primeiro amor. Lembra-te, pois, de onde caíste, e arrepende-te, e pratica as primeiras obras; quando não, brevemente a ti virei, e tirarei do seu lugar o teu castiçal, se não te arrependeres”. (Apocalipse 2:4-5)

Recuperar o primeiro amor, voltar aos primórdios. Verificar onde estamos errando e voltar ao ponto correto, às primeiras obras, à maneira certa de fazer as coisas, segundo o padrão de Deus.

Recuperar bons hábitos alimentares é de suma importância, mas voltar-se para uma vida de comunhão com Deus é ainda mais. Comer corretamente te trará longevidade, mas não te fará eterno. Agrotóxicos correm o corpo, o pecado corrói a alma, e Jesus diz que salvar a alma é mais importante do que salvar o corpo: “E não temais os que matam o corpo e não podem matar a alma; temei antes aquele que pode fazer perecer no inferno a alma e o corpo”. (Mateus 10:28)

Na sua próxima refeição, procure comer alimentos saudáveis. Dê preferência a alimentos orgânicos e nutritivos, mas não se esqueça de orar abençoando os alimentos e agradecendo a Deus por prover mais uma vez a tua mesa.

Cuide da sua saúde. Busque longevidade, sem perder a eternidade.

Pense nisso e ponha em prática.

Que o Senhor Jesus te abençoe.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Alguns campos com * são obrigatórios.








AVISO: O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade do autor da mensagem.

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na leitura acima, democrática e respeitosamente. Para utilizá-lo, você deve estar logado no Facebook. Comentários anônimos (perfis falsos ou não) ou que firam leis, princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas podem ser excluídos caso haja denúncia ou sejam detectados pelo site. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, entre outros, podem ser excluídos sem prévio aviso. Caso haja necessidade, também impediremos de comentar novamente neste site os perfis que tiveram comentários excluídos por qualquer motivo. Comentários com links serão sumariamente excluídos.