Pense e Viva

Seus frutos mostram quem você é!

Um homem viu quando uma cobra estava morrendo queimada e decidiu tirá-la do fogo usando um pedaço de madeira, mas quando o fez, a cobra o picou. Pela reação de dor, o homem soltou a madeira e o réptil caiu no fogo outra vez. O homem tentou tirá-la novamente e de novo a cobra o picou. Alguém que estava observando se aproximou do homem e lhe disse: Desculpe, mas você é teimoso! Não entende que todas as vezes que tentar tirá-la do fogo, ela irá pica-lo?
O homem então respondeu: A natureza da cobra é picar, e a minha é ajudar. Cada um age conforme a sua natureza.
Então, com a ajuda de um pedaço de ferro, o homem tirou a cobra do fogo e salvou sua vida.

Esta breve história nos fala sobre algo muito interessante: a natureza humana. Temos dentro de nós duas naturezas: A espiritual, que herdamos de Deus quando o homem foi criado a Sua imagem e semelhança e nos faz produzir o fruto do Espírito; e a natureza carnal, que herdamos de Adão e é inclinada ao pecado e às obras da carne.

O homem foi criado, conforme a imagem e semelhança de Deus, para reproduzir os atributos de santidade e caráter do Senhor, dominar sobre toda a criação e expandir esse domínio fazendo da terra uma extensão do céu. Mas o homem falhou, e entregou ao diabo o domínio que Deus havia lhe dado. A partir desse momento, o pecado entra no mundo e contamina a humanidade: Portanto, como por um homem entrou o pecado no mundo, e pelo pecado a morte, assim também a morte passou a todos os homens por isso que todos pecaram”. (Romanos 5:12) Desde o pecado de Adão e Eva, o homem nasce com a natureza carnal e pecaminosa, mas Deus providenciou um conserto para esse erro: Pois assim como por uma só ofensa veio o juízo sobre todos os homens para condenação, assim também por um só ato de justiça veio a graça sobre todos os homens para justificação de vida.
Porque, como pela desobediência de um só homem, muitos foram feitos pecadores, assim pela obediência de um, muitos serão feitos justos”.
(Romanos 5: 18-19)

Jesus recuperou aquilo que Adão havia perdido e restaurou nossa natureza espiritual. Através da sua morte na cruz nossa comunhão com Deus foi restaurada e o Espírito Santo passou a habitar dentro de todo aquele que recebe a Cristo como seu Senhor e Salvador. Hoje a humanidade pode viver conforme Deus propôs quando a criou, o homem pode expressar a vontade do Senhor através das suas atitudes, entregando a direção da sua vida ao Espírito Santo. A bíblia diz que fomos “enxertados” (Romanos 11:17) por isso podemos produzir um fruto agradável a Deus.

Mas é preciso entender que a natureza carnal não morre enquanto o homem estiver vivo. Ela sempre estará lá, lutando contra o espírito, tentando assumir o controle: “Digo, porém: Andai em Espírito, e não cumprireis a concupiscência da carne. Porque a carne cobiça contra o Espírito, e o Espírito contra a carne; e estes opõem-se um ao outro, para que não façais o que quereis”. (Gálatas 5:16-17)

As duas naturezas travam uma verdadeira batalha dentro do ser humano em busca do domínio das ações do homem. Carne e Espírito lutam constantemente, e a vencedora dessa luta mostra a sua superioridade através dos seus frutos. Embora o homem seja feito de carne, não precisa viver guiado por ela: Porque, andando na carne, não militamos segundo a carne”. (2 Coríntios 10:3)

Não fomos nós que escolhemos ter essa natureza carnal, o primeiro homem fez a escolha e condenou toda a humanidade. Recebemos isso de herança, não escolhemos receber, mas podemos escolher o que fazer com ela. Podemos definir que tipo de fruto vamos gerar decidindo primeiro qual natureza frutificará em nós.

“Por seus frutos os conhecereis. Porventura colhem-se uvas dos espinheiros, ou figos dos abrolhos?
Assim, toda a árvore boa produz bons frutos, e toda a árvore má produz frutos maus”.
(Mateus 7:16,17)

Pelo fruto se conhece a árvore e a espécie a qual pertence. Pelas atitudes se conhece uma pessoa e a que natureza ela responde. Repare que Jesus diz que é “pelo fruto” e não “pelo discurso”. Suas atitudes falam mais do que suas palavras.

Por isso, nossas atitudes não podem ser uma resposta às atitudes de alguém, devemos agir de acordo com a nossa natureza. Quando você faz uso do ditado “olho por olho, dente por dente” está sendo um “eco” da atitude de outra pessoa, agindo da mesma forma errada que você condenou.

Não mude sua natureza se alguém te fizer algum mal, não mude sua essência, não produza um fruto amargo como resposta. Um pé de laranja sempre produzirá laranjas, se você jogar lixo nele, ele não produzirá limões como resposta a sua atitude agressiva; mesmo que cause ferimentos em seus galhos e folhas, ainda que passe um tempo sem produzir, no momento que voltar a dar frutos, produzirá laranjas, por que essa é a sua natureza.

Quando sua carne estiver falando mais alto, ponha ela no seu devido lugar, clame ao Espírito Santo para que Ele assuma o controle da situação e direcione tuas atitudes. Lembre-se do versículo já citado anteriormente: “Digo, porém: Andai em Espírito, e não cumprireis a concupiscência da carne”. Encha-se do que é bom, do que edifica e fortalece o seu espírito, guarde os seus olhos e seus ouvidos de tudo aquilo que pode dar poder a sua carne, se a natureza carnal não morre, deixe ela sem forças, não a alimente.

Um jovem discípulo pediu ao seu mestre que lhe ajudasse a entender, de uma forma simples, a luta entre as duas naturezas que habitam dentro do homem. O mestre exemplificou da seguinte forma: Todo ser humano têm dentro de si dois cães, um bom e um mau, que travam entre si uma constante batalha, e o vencedor dessa luta sempre será aquele que você alimentar mais.

Você escolhe qual dos dois cães vai alimentar. Tuas atitudes serão fruto dessa escolha, não deixe que alguém escolha por você, não permita que a opinião de outros mude a tua natureza.

“De maneira que cada um de nós dará conta de si mesmo a Deus”. (Romanos 14:12)

Pense nisso e ponha em prática.

Que o Senhor Jesus te abençoe.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Alguns campos com * são obrigatórios.








AVISO: O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade do autor da mensagem.

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na leitura acima, democrática e respeitosamente. Para utilizá-lo, você deve estar logado no Facebook. Comentários anônimos (perfis falsos ou não) ou que firam leis, princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas podem ser excluídos caso haja denúncia ou sejam detectados pelo site. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, entre outros, podem ser excluídos sem prévio aviso. Caso haja necessidade, também impediremos de comentar novamente neste site os perfis que tiveram comentários excluídos por qualquer motivo. Comentários com links serão sumariamente excluídos.