Pense e Viva

Determinação: Combustível dos vencedores!

Há um caminho a percorrer entre o querer e o realizar. Sua distância e o grau de dificuldade estão relacionados com o objetivo traçado no seu início. Percorrer esse trajeto nos ensinará muitas lições. Ele nos mostra que a teoria é sempre mais fácil que a prática e nos ensina a entender a diferença entre “Empolgação” e “Determinação”.

Empolgação é o combustível que nos faz “arrancar” para o objetivo, determinação é o combustível que nos faz continuar, até chegar ao final. A empolgação termina tão logo apareçam os primeiros obstáculos no caminho, a determinação passa por cima deles e segue em frente, em alguns momentos o ritmo pode até diminuir, mas ela não nos deixa parar.

Os empolgados começam tudo e não terminam nada, os determinados sempre terminam o que começaram. Os empolgados iniciam as coisas pela emoção enquanto os determinados se movem por um propósito, firmado numa motivação correta.

Diariamente, sonhos e projetos são abortados. Há outros motivos para que algum plano seja interrompido, mas na maioria das vezes, a falta de determinação é a principal razão. Regimes, cursos, tratamentos, negócios, são alguns dos exemplos do que deixamos pela metade, sem ver o final acontecer. Arrisco a dizer que a grande maioria das pessoas não é determinada; que é muito maior o numero dos projetos que ficam pelo caminho do que os que cruzam a linha final. Se você é um deles, bem vindo ao clube! Quem nunca começou algo e deixou inacabado? Quem nunca foi, em algum momento da sua vida, mais empolgado do que determinado? Quem nunca sucumbiu a algum obstáculo ou frustração?  Até mesmo alguns dos grandes homens da bíblia tiveram que aprender a lição, Pedro foi um deles.

Ninguém nos evangelhos foi mais empolgado do que Pedro. Largou seu barco e sua profissão para seguir a Jesus quando esse ainda era um desconhecido; durante uma tempestade, pede a Jesus que o mande andar sobre as águas; é o primeiro entre os discípulos a afirmar que Jesus é o Filho de Deus; arranca a espada e corta a orelha de um soldado Romano quando este vem para prender Jesus; afirma que jamais se escandalizaria de Cristo, mas pouco tempo depois o nega por três vezes e diante da crucificação do seu Mestre, volta ao seu antigo ofício de pescador.

Pedro começou bem, mas sua empolgação não foi suficiente para leva-lo até o fim naquele momento. Enquanto Jesus realizava milagres, a empolgação de Pedro aumentava, mas quando as coisas começaram a acontecer de uma maneira diferente daquela que Pedro esperava, sua empolgação terminou e ele voltou ao ponto de origem.

Assim acontece conosco ainda hoje. Começamos bem, nossa empolgação aumenta á medida em que o projeto segue da forma que planejamos, mas basta a situação mudar, basta as circunstâncias fugirem de nosso controle e entendimento para demonstrarmos nossa negação e voltarmos ás práticas antigas.

A empolgação de Pedro estava baseada numa motivação errada. Até aquele ponto ele não havia entendido qual o propósito de Cristo na terra, tampouco qual o seu propósito como seguidor de Cristo. Muitas vezes nossos projetos fracassam por que estão edificados sobre uma motivação errada. Tudo o que planejamos e começamos deve ter como fundamento e motivação glorificar a Deus: “E, quanto fizerdes por palavras ou por obras, fazei tudo em nome do Senhor Jesus, dando por ele graças a Deus Pai.” (Colossenses 3:17)

Tudo aquilo que agrada a Deus certamente alegrará o nosso coração. Fazer tudo com o objetivo de glorifica a Deus nos fará ser determinados, assim como Cristo foi. Ele suportou tudo e cumpriu o seu propósito por que sua motivação era correta, obedecer ao Pai.

Jesus é nosso exemplo de determinação: “Olhando para Jesus, autor e consumador da fé, o qual, pelo gozo que lhe estava proposto, suportou a cruz, desprezando a afronta, e assentou-se à destra do trono de Deus”. (Hebreus 12:2)

Não existe maior alegria do que realizar aquilo que Deus nos encarrega de fazer. Jesus sabia da dor que enfrentaria, mas a alegria da obediência o determinou a passar por cima das dores e da humilhação. Ele é nosso referencial. Comece seus projetos com a seguinte pergunta: Quando isso terminar, trará glória ao nome do senhor? Se a motivação estiver correta, olhe para Jesus, foque na alegria que isso trará ao seu coração e siga em frente, até o final.

Pedro falhou e voltou a ser quem era antes, mas Jesus não desistiu dele. Após ressuscitar, Jesus foi ao seu encontro. Para cada vez que Pedro negou, Jesus deu-lhe uma oportunidade de se redimir, por três vezes Jesus lhe perguntou: Pedro, tu me amas? E diante da resposta afirmativa de Pedro, Jesus lhe dizia: então apascente as minhas ovelhas. Pedro havia desistido de ser um seguidor de Cristo, mas o Mestre não havia desistido dele. Pedro havia deixado um projeto pela metade, mas Cristo queria que ele continuasse de onde parou.

Não se culpe pelos fracassos, aceite a oportunidade de recomeçar. Pedro aceitou e entendeu qual era realmente o seu chamado. Após Jesus subir aos céus, Pedro tornou-se um dos homens mais cheios do poder do Espírito Santo sobre a terra, até a sua sombra curava os enfermos. Em algum momento ele havia desistido, mas Deus estava apenas começando.

Assim como Jesus não desistiu de usar a vida de Pedro para a glória do nome do Senhor, assim Ele não desiste de nós, Ele não desiste de levar adiante aquilo que nós já desistimos, ainda há tempo para mudar, ainda há tempo de trocar a empolgação pela determinação e ver cumprido tudo aquilo que Deus planejou para nós.

Não importa quantos projetos você deixou sem concluir até hoje, o que importa, é quantos você levará até o final de agora em diante. Para cada fracasso, Ele nos dá uma nova oportunidade.

Pense nisso e ponha em prática.

Que o Senhor Jesus te abençoe.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Alguns campos com * são obrigatórios.








AVISO: O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade do autor da mensagem.

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na leitura acima, democrática e respeitosamente. Para utilizá-lo, você deve estar logado no Facebook. Comentários anônimos (perfis falsos ou não) ou que firam leis, princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas podem ser excluídos caso haja denúncia ou sejam detectados pelo site. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, entre outros, podem ser excluídos sem prévio aviso. Caso haja necessidade, também impediremos de comentar novamente neste site os perfis que tiveram comentários excluídos por qualquer motivo. Comentários com links serão sumariamente excluídos.