Pense e Viva

A Pergunta de João

João Batista foi um homem a frente do seu tempo. Desde o seu nascimento, quando um anjo anunciou ao seu pai que Deus lhes daria um filho, até a sua morte, decapitado a mando do rei Herodes, sua vida foi marcada por fatos impressionantes. Nasceu com um chamado bem definido: preparar o caminho para a chegada do Messias. Levou esse chamado à risca. Andando pelo deserto, pregava o arrependimento de pecados e a vinda de Jesus, e era procurado por gente de todos os lugares que vinham até ele para serem batizadas.

Viu, com os seus próprios olhos, a sua pregação se tornar real. Contemplou a face daquele que ele havia anunciado e teve a honra de batizar o filho de Deus. Ele estava presente na cena quando os céus se abriram e o Espírito Santo desceu sobre Jesus; seus ouvidos puderam ouvir audivelmente, a voz do Pai declarando que aquele que acabara de ser batizado era o seu filho amado.

Tudo o que João Batista viu e ouviu era forte o bastante para fazê-lo crer, sem duvidar em nenhum momento, que aquele Jesus que ele havia batizado no rio Jordão era verdadeiramente o Filho de Deus que ele havia anunciado.

Mas os fatos, embora muito fortes, não foram suficientes. João Batista começou a duvidar!

Em determinado momento, toda a convicção e certeza que João tinha á respeito de Jesus, desaparecem. A dúvida encontra lugar em sua mente. O pregador que não se curvava diante do pecado e nem diante das ameaças dos religiosos, está agora cedendo diante da incerteza.  Será que ele se enganou a respeito de Jesus? E tudo aquilo que ele havia visto e ouvido, seriam fruto da sua imaginação? Sua mente é invadida por pontos de interrogação.

Nessa altura você também deve estar se perguntando: mas o que aconteceu para que João ficasse em dúvida a respeito de Jesus? A resposta está no texto a seguir:

“E João, ouvindo no cárcere falar dos feitos de Cristo, enviou dois dos seus discípulos,
A dizer-lhe: És tu aquele que havia de vir, ou esperamos outro”?
(Mateus 11:2,3)

João Batista está na prisão! Por confrontar fortemente os pecados de Herodes, João é trancado no cárcere. Preso, ouve falar dos milagres que Jesus está realizando, e isso confronta o seu entendimento. Se Jesus é realmente o Filho de Deus, se Ele tem poder para realizar tantos prodígios, porque não o tira da prisão? Será que Jesus não se importa com o fato de seu primo, amigo e servo estar preso? E tudo o que ele havia feito e pregado, preparando a chegada de Cristo, não pesava nessa hora?

O inconformismo com a realidade faz João perder a certeza sobre Jesus.

João Batista não foi apenas precursor de Cristo, ele foi precursor de muitos de nós. Ele sentiu aquilo que muitas vezes nós sentimos quando nossa realidade não é o que esperamos ou gostaríamos que fosse.

Quantas vezes, diante de alguma adversidade, questionamos á Deus? Quando não entendemos o “por que” de alguns acontecimentos, somos levados, assim como João , a pensar que nos equivocamos a respeito daquele de proclamamos e servimos. O inconformismo e a incompreensão da realidade muitas vezes nos fazem perder a convicção. Tribulações e angústias põe em cheque aquilo que pregamos para os outros com tanta certeza.

Nossos olhos contemplam um cenário não desejado enquanto nossa mente elabora uma série de perguntas: Porque estou passando por isso? Será que Deus me abandonou? Será que Jesus realmente me ama? Se Deus realmente existe, porque não faz nada por mim?

Muito tempo se passou desde a época de João Batista até os dias de hoje, mas os questionamentos continuam os mesmo, e o motivo de eles existirem também. Jesus manda uma resposta para João, ela também serve para nós:

E Jesus, respondendo, disse-lhes: Ide, e anunciai a João as coisas que ouvis e vedes: Os cegos veem, e os coxos andam; os leprosos são limpos, e os surdos ouvem; os mortos são ressuscitados, e aos pobres é anunciado o evangelho. E bem-aventurado é aquele que não se escandalizar em mim”.
(
Mateus 11:4-6)

A resposta que Jesus envia a João é muito clara: Ele está curando, libertando, ressuscitando e pregando o evangelho. Tudo o que foi profetizado ao Seu respeito está acontecendo, o fato de não libertar João da prisão não o destitui da condição de Messias.

Jesus está ensinando uma lição para João Batista e para nós: Tire o foco das coisas que não estão acontecendo e olhe para as coisas que acontecem todos os dias, elas mostrarão que Deus continua agindo. Olhar mais para o que Deus não faz do que para o que Ele faz, levará você a se escandalizar na fé.

Nos escandalizamos quando somos levados a pensar que Deus deixou de ser Deus por não solucionar algum problema que enfrentamos. Jesus não deixa de ser o Filho de Deus quando as coisas que esperamos não acontecem.

Escandalizar-se enfraquecerá a sua fé. Olhar para o que Deus continua fazendo, lhe fortalecerá para continuar firme, crendo que o Senhor não muda e que Ele virá em teu auxílio.

João Batista nunca foi solto da prisão, morreu pouco tempo depois de receber a resposta de Jesus. Não que Deus tenha se esquecido dele, mas porque ele havia cumprido o seu chamado.

Não há nada que possamos fazer quando nosso tempo nessa terra termina. Mas enquanto houver tempo, mantenhamos firme a nossa fé, todos os propósitos de Deus se cumprirão em nossa vida.

Jesus continua sendo o Filho de Deus, você pode ter certeza disso, Ele nos ajudará a chegar até o final.

Pense nisso e ponha em prática.

Que o Senhor Jesus te abençoe.

 

 

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Alguns campos com * são obrigatórios.








AVISO: O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade do autor da mensagem.

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na leitura acima, democrática e respeitosamente. Para utilizá-lo, você deve estar logado no Facebook. Comentários anônimos (perfis falsos ou não) ou que firam leis, princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas podem ser excluídos caso haja denúncia ou sejam detectados pelo site. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, entre outros, podem ser excluídos sem prévio aviso. Caso haja necessidade, também impediremos de comentar novamente neste site os perfis que tiveram comentários excluídos por qualquer motivo. Comentários com links serão sumariamente excluídos.